.

.

domingo, 10 de abril de 2016

Lucas 5

Vejo aqui algumas lições bem interessantes:

1-  Primeiramente vemos Jesus sendo o tempo todo assediado por pessoas que queriam ouvir seus ensinamentos. Jesus estava pregando na praia. Enquanto fazia isso podemos notar que outras pessoas trabalhavam, alheias ao que ele estava dizendo. Simão "não estava nem aí". Enquanto um monte de gente "perseguia" Jesus, Simão preferiu cuidar da sua vida, ganhar seu sustento. De um lado, pessoas aparentemente muito interessadas em seguir Jesus e do outro lado pessoas que pareciam mais interessadas em cuidar da própria vida. Bem, o coração de Jesus se inclinou para a direção de Simão. Não nos parece estranho? Se eu estivesse lá naquela ocasião, certamente acharia estranho. Mas agora, distanciada no tempo, tenho que admitir uma coisa: Simão Pedro deu sua própria vida por amor a Jesus e ao Evangelho enquanto aquelas pessoas, aquela multidão toda... talvez não. Nem sabemos seus nomes. Não se destacaram em nada e, quem sabe, estavam entre aqueles que gritaram "crucifica-o!"    Jesus vê o coração. Muitas pessoas parecem seguidoras, parecem interessadas, mas não passam de curiosas ou de buscadores de milagres. Enquanto isso há aqueles que aparentemente "não estão nem aí" mas que lá dentro, no fundo do coração, anseiam ter um encontro com Deus e dariam a própria vida por Jesus. Deus vê o coração. Nós só vemos exterioridades enganadoras.

2-  No verso 8 vemos Simão perplexo com o milagre da pesca. Ele caiu aos pés de Jesus e exclamou "Senhor, saia daqui! Saia de perto de mim porque sou pecador, sou sujo! Não mereço essa proximidade!"   Enquanto isso, em outras ocasiões, vemos os tais "devotos" pedindo ao Senhor sinais. "Senhor, qual o milagre que o senhor vai fazer para que creiamos?"   Nas multidões não existem apenas curiosos e buscadores de milagres; há também os cobradores. Aqueles que já chegam "cheios de moral" pedindo atenção, exclusividade, cobrando, determinando. Só que os verdadeiros adoradores, o verdadeiro servo, a verdadeira ovelha, tem uma postura completamente diferente: "Senhor, eu não mereço nada! Eu não passo de um pecador! Só de meus olhos terem te visto já me sinto imensamente agraciado! Não tenho nada a pedir, só quero te adorar!"

Nos versos 27 e 28 vemos a mesma coisa acontecer com Levi, que estava trabalhando no seu canto. Não estava indo atrás de Jesus, mas Jesus foi ao seu encontro, o chamou e ele o seguiu. Sem conversa, sem questionamentos, sem pedidos de garantia de vida ou de milagres.

Entendeu agora porque Jesus deixou todas aquelas pessoas ali e foi puxar conversa justamente com alguém que parecia indiferente à sua presença? Jesus não olha as aparências. Antes de qualquer atitude, acertada ou não, Ele já sabia quem era Simão e do que ele seria capaz de fazer por amor.



Nenhum comentário:

Postar um comentário