.

.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Lucas 2:41-52


Esse é o famoso episódio de "O Menino Jesus Entre os Doutores". Muito já se tem falado a respeito de "perder Jesus durante a caminhada da vida". É, isso acontece. Perde-lo de vista , ir distanciando aos poucos, distraidamente, enquanto supomos, preguiçosamente, que ele está por perto, por aí, ainda que não mais o sintamos. Acontece...    Mas dessa vez foi outro aspecto do texto que me tocou.

Maria e José Estavam já perfeitamente cientes da missão da qual foram incumbidos: cuidar de Jesus. Do precioso Jesus, o filho de Deus, o Messias. Fico imaginando o peso de responsabilidade que eles sentiram. Não dá pra saber exatamente como lidaram com essa missão mas se fosse eu, certamente ficaria tensa a cada brincadeira, cada pequeno risco à saúde. Afinal, eles tinham uma grande responsabilidade. Aí aconteceu algo desconcertante: Jesus sumiu.

Quando a gente recebe de Deus uma missão, supomos que precisamos controlar tudo, saber de tudo, dar conta de tudo. Supomos que Deus vai nos cobrar esse tipo de eficiência, quando na verdade tudo o que ele requer é que façamos nossa parte com amor.  

Esse episódio nos mostra que se estamos fazendo a obra de Deus, por mais importância que nossa atribuição pareça ter, por maior que seja a nossa responsabilidade, nós não controlamos tudo.  Jamais.  E Deus sempre fará coisas "sem nossa permissão",  sem dar satisfações. Por mais que sejamos íntimos dele nem tudo passará pelo nossos olhos. Não temos o controle e isso deve ficar bem claro. Frequentemente as coisas acontecerão independentemente de nós. A gente ora, a gente aconselha, procura ajudar, faz o que pode durante anos, mas depois constata que a rosa floresceu em outro jardim, por mãos de outro jardineiro que nem conhecíamos. Não acontece isso às vezes?

Ou para o bem ou para o aparente mal, as coisas acontecerão de tal forma que farão você se sentir "desimportante". É bom que seja assim.  Porque "a altivez precede a queda mas a humildade precede a honra." 

 Não devemos nos afligir por termos perdido o controle sobre  a obra de Deus.  Na verdade jamais tivemos esse controle!   O vento sopra onde quer, mas não sabemos de onde ele vem nem para onde ele vai.

Quando "Jesus sumir" e fizer coisas "por conta própria", dê glória a Deus! Isso tira um enorme peso de responsabilidade dos seus ombros. Além do mais a gente aprende também que quando parecer que nada está acontecendo pode ser que Jesus esteja aprontando maravilhas que ainda não nos contou.

É um alívio não ter o controle de tudo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário