.

.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

O marketing "santo"

Não vejo com simpatia o uso da caridade como tática para conseguir novos adeptos.

Não lembro de Jesus ensinando aos seus discípulos nenhuma "tatica" para encher templos ou angariar adeptos.  Ele não deu dicas nesse sentido. Ele apenas amou e nos orientou a amar. E disse que se nos amássemos sinceramente todos saberiam que somos discípulos dele. E só.

Nós não sabemos amar. Precisamos aprender. Para isso temos que nos envolver profundamente com o próprio Cristo e precisamos também nos exercitar no bem. Esse exercício diário faz com que o amor brote e floresça. O amor verdadeiro atrai as pessoas porque todo mundo precisa muito de amor. Mas veja: isso nada tem a ver com tática para encher templos.

A prática da bondade, além de existir como um exercício espiritual, pode e deve ser feita também como ato devocional. Você pode dar uma esmola como oferta ao Senhor. Mas se você olha para outro ser humano e apenas enxerga "um a mais", está enganando a si mesmo. Isso não é prática de amor nem prática devocional. É marketing. Nesse caso suas obras são de palha. 

O amor atrai, é verdade. Mas isso deve ser consequência de uma verdade interior, ou de um exercício espiritual. Não pode existir como "isca". Iscas são mentiras que existem para atrair. Cristo é a verdade. O Diabo é o pai da mentira.

Jesus disse "eu vos farei pescadores de homens". Ele opera em nós a natureza dele mesmo. Ele nos leva a sermos melhor do que somos, mas não nos orienta a fingir que somos o que não somos. "Eu vos farei" é diferente de recebermos dele uma aula de teatro. 

Está escrito: "o amor seja não fingido". O amor, como prática, deve ser uma expressão natural e desinteressada do que você tem dentro do peito ou deve ser um exercício diário para que consigamos alcançá-lo. É um fim em si mesmo, jamais uma tática

Deus não quer marketeiros, mas filhos amados, que absorvam a natureza dele. Fica a pergunta: o que te move a fazer o bem? Tuas obras são de ouro? prata? feno? pedras preciosas? palha? Só permanecerá o que resistir ao fogo. 

 "... porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento edifica ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia de Cristo a declarará porque pelo fogo será descoberta e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele prejuízo; mas o tal será salvo, todavia como que pelo fogo" (1Cor. 3:10-15)

Nenhum comentário:

Postar um comentário