.

.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Vinho velho

"E ninguém quer vinho novo depois de beber vinho velho, pois diz: "o vinho velho é melhor". 
Lc 5:39

Somos irremediavelmente marcados pelas lembranças do passado. Elas nos moldam. O primeiro amor, o primeiro emprego, a primeira viagem sozinhos. Isso se aplica, claro, às experiências relacionadas à nossa espiritualidade. Quando somos marcados pelo "bom e velho Evangelho"  nenhuma novidade nos parece atraente.

Hoje não tenho sentindo falta nenhuma de novas "sacadas" dentro da Bíblia.   Tudo o que meu coração pede é que as velhas verdades, robustas e imutáveis,  continuem chegando a mim e jamais deixem de me parecer doces e cativantes.   Quero poder continuar ouvindo a mesma história que ouvi de meus pais quando eu era criança; a nesma história que mudou a perspectiva de vida do meu pai e que foi o consolo e esperança de toda a vida da minha mãe.

Aparentes novidades podem ser muito bem aceitas pelos mais jovens. Desisto de lutar contra elas.. Afinal está dito que o vinho novo se dá muito bem em odres novos. Mas já entendi que sou um odre velho. Não devo me forçar a suportar coisas que minha natureza não digere mais.  Nem me forçarei a ter uma elasticidade que meu corpo não suporta. Sou um odre velho,  estou feliz assim. Há lugar no Reino também para pessoas como eu.

Depois de provar o vinho velho, não tentem conquistar meu paladar  com o vinho novo. É inútil! Porque  vou sempre achar que o velho é muito melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário