.

.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Solidão




Jesus ficou sabendo que tinham expulsado o homem da sinagoga. Foi procurá-lo e, quando o encontrou, perguntou: — Você crê no Filho do Homem? João 9:35

Há experiências profundas com Deus que só os desprezados conhecem. 


Às vezes a gente pensa que para ter um encontro com Jesus precisamos necessariamente estar no meio da multidão atrás dele. Claro que muita coisa bonita acontece em meio à multidão. Milagres, coisas interessantes mesmo. A multiplicação dos pães, a transformação da água em vinho, a ressurreição de Lázaro... tudo no meio do povo. Mas notemos que o encontro com Jesus quando estamos sozinhos, longe dos olhos alheios, às vezes na dor, no desprezo e no medo, são esses encontros os mais autênticos, capazes de realmente mudar o rumo da nossa vida.

A transfiguração foi um acontecimento muito íntimo. Demorou muito para que Pedro, Tiago e João contassem aos outros o que aconteceu naquele dia. Quando Jesus se revelou à samaritana foi a sós com ela. Com Nicodemos...  e aqui nesse episódio também. Muitos dos que conheceram Jesus em meio à multidão o abandonaram depois. Foi uma experiência exterior. Ver maravilhas não é algo que aconteça dentro da gente. É coisa para os olhos, para o espanto, não necessariamente para o espírito. Não é incomum que essas coisas sejam depois questionadas ou esquecidas. Mas os acontecimentos solitários são muito profundos, marcantes, inesquecíveis.

Esse homem, que era aleijado, foi maravilhosamente curado por Jesus. Ótimo. Lindo. Mas ele nem sabia quem era Jesus ou o que significava aquele milagre. Ele só estava feliz e agradecido e ia tocar a vida em paz. Mas foi preciso que ele fosse expulso da sinagoga e se visse em solidão e desprezo para que o Mestre se revelasse a ele de forma completa. Antes apenas era o milagre; agora é o próprio Jesus. 

Jesus nunca fez campanha para juntar multidões. Nunca se esforçou para ser popular. Muito pelo contrário.  As pessoas o procuravam, o "perseguiam", queriam ver coisas. Mas que privilégio o desse homem! Não procurou, mas foi encontrado. A Palavra diz que Jesus foi procurá-lo!  E se revelou a ele. 

Às vezes pensamos que os solitários, os excluídos, estão perdendo a grande chance de conhecer Jesus. Perdendo os "melhores lances" dos milagres e dos discursos dele. Não é verdade. Jesus tem uma inclinação muito especial em ir buscar as pessoas que fora afastadas por incompreensão, por doença, por crime, por mágoa... Afastaram-se, mas não perderam a chance de ter a Vida. Muitas vezes esse afastamento é mais que necessário para que sejamos encontrados. Sim, Jesus costuma buscar as ovelhas perdidas.

Devemos buscar a Deus? Devemos. Mas quando estamos fracos demais, sem energia e confusos, é Ele quem nos busca e nos encontra.
Deus é amor.







Nenhum comentário:

Postar um comentário